Página Inicial
Notícias
Opinião
Autarquias
Documentos
Foto Galeria
BEja no Facebook
Newsletters
Newsletter do BEja






Adere ao Bloco
Adere ao Bloco 
Sites do Bloco
Site do BE
Site do Grupo Parlamentar
Site do Grupo Parlamentar Europeu
Site do BE nas Autarquias

Sustentabilidade do Alqueva ameaçada pelos PIN de Sócrates PDF Imprimir e-mail
04-Out-2007

alqueva_pin.jpgFrancisco Louçã esteve este sábado na barragem do Alqueva e referiu-se à "estatégia PIN" com que o governo de Sócrates "está a promover a especulação turística e imobiliária" na albufeira do Alqueva. "Quando era ministro do Ambiente, José Sócrates fixou um limite de 480 camas turísticas, para que houvesse um turismo de qualidade". Agora que lidera o governo, "multiplicou o limite por quase 50 e deu luz verde para a construção de 22.500 camas", disse o dirigente do Bloco. Estes grandes projectos são aprovados pelo governo com a classificação de Projecto de Interesse Nacional (PIN). "Para Alqueva, tal como acontece nas costas alentejana e algarvia, o Governo está a usar muito a estratégia dos PIN, para incentivar projectos imobiliários, disfarçados de turísticos", disse Louçã.

Ler mais...

 
BLOCO PROPÕE MORATÓRIA SOBRE TRANSGÉNICOS PDF Imprimir e-mail
04-Out-2007
transgnicos.jpgAs deputadas e os deputados do BE entregaram, no passado dia 28 de Setembro, um Projecto de resolução da Assembleia da República que recomenda ao Governo uma moratória sobre o cultivo de sementes que contenham ou sejam constituídas por Organismos Geneticamente Modificados (OGM). Um assunto da maior actualidade que esteve presente em Moura no debate sobre Alqueva. Tenha acesso aqui a este projecto do BE.
 
ALQUEVA - Valia agricola e sustentabilidade ambiental PDF Imprimir e-mail
20-Set-2007
  prog_alqueva.jpg  
 
ALQUEVA – Projecto de fins múltiplos sob ameaça do latifúndio PDF Imprimir e-mail
13-Set-2007

alqueva.jpgAinda a água de Alqueva não rega directamente um único hectare e já a especulação agrária, turística e imobiliária ameaça a sustentabilidade deste projecto de fins múltiplos.

A falta de coragem política para avançar com uma reestruturação fundiária, fixando o limite médio de 50 hectares para o regadio e criando um banco de terras para arrendamento a jovens que promovesse a agricultura familiar e cooperativa, escancarou as portas à monocultura intensiva do olival e outras, sucedâneas das “campanhas do trigo” de Salazar.

Os resultados deste latifúndio de regadio estão á vista na vizinha Andaluzia: exploração de mão-de-obra imigrante, em condições próximas da escravatura; esgotamento de solos já débeis; ameaças à biodiversidade, nomeadamente com a introdução dos OGM; seca extrema, desertificação e desastre ambiental a prazo. 

A factura destes atentados será paga por nós e pelas próximas gerações.

Ler mais...
 
Ninguém se pode esconder das alterações do clima PDF Imprimir e-mail
13-Set-2007

ninguemsepodeesconder.jpg

Dentro da Europa, Portugal é particularmente vulnerável às alterações do clima.

A subida do nível do mar, as ondas de calor e a escassez de água são os fenómenos que mais directamente vão pôr em perigo pessoas, a economia e o ambiente.

A agricultura, a floresta e o turismo serão fortemente afectados. A saúde pública e o acesso das populações a bens essenciais estarão em risco.

O Bloco de Esquerda organiza em Julho e Setembro as Jornadas das Alterações do

Clima, com iniciativas de norte a sul do país. Porque é urgente responder ao desafio e agir para travar o aquecimento global.

Acede aqui ao cartaz em pdf

 

 
Só a luta vence o abuso PDF Imprimir e-mail
10-Set-2007
  mupi_abuso.jpg  
 
<< Início < Anterior | 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 | Seguinte > Final >>

Resultados 64 - 70 de 71
Destaques
VIII Convenção 
  Debate Aberto
Novo cartaz do Bloco
Campanhas

Cortem na Divida não nos Salários

Privatização é o fim da linha 

 

Novo folheto dos Jovens do Bloco
Publicações
Jornal gratuito - Ler em pdf
Revista Vírus n1
Plataformas
Site Esquerda
Vídeos do Bloco
© 2017 Site Distrital de Beja - Bloco de Esquerda
Joomla! is Free Software released under the GNU/GPL License.